• NOMAD eventos

Irlanda



" Fill your live with adventures, not things. Have stories to tell not stuff to show."


Umas das minhas frases favoritas, das que andam guardadinhas na carteira, escritas num papel...para não esquecer!


Não há nada como uma viagem para respirar fundo. Inspirar a alma e limpar o coração.





Desta vez fomos um bocadinho mais longe - Irlanda - a terra dos Duendes felizes, das Fadas e dos potes de ouro.


Não sei se os Duendes existem e se são felizes, já os Irlandeses, temos a certeza que sim.


Nunca conheci povo tão bem-disposto, simpático e prestável como eles!



Itinerário


Dublin - Galway - Cliffs of Moher - Dublin - Glendalough - Wicklow Mountains National Park




Mal chegamos fizemos uma paragem para almoço porque tínhamos uma viagem grande pela frente. Fomos a um Pub típico ter com uma amiga que está a viver em Dublin.

Alugamos um carro ainda no aeroporto e seguimos para Galway, onde íamos passar uma noite com a intenção de ir aos Cliffs of Moher



Galway - day 1/2


Galway é encantadora! A típica cidade, meio medieval meio industrial.

Muita cor e cheia de vida apesar do céu cinzento e do frio...sentimo-nos muito bem recebidos!








Cliffs of Moher - day 2


Depois de passarmos a noite em Galway e visitar este lindo local durante a manhã, seguimos depois para os Cliffs of Moher.



A caminho fizemos uma pequena paragem em Ross Castle.

Segundo a lenda, o patriarca dos O’Donoghues ainda vive num sono profundo sob as águas de Lough Leane.


Conhecemos aqui um casal, ele era Checoslovaco e ela Alemã, mochileiros que andavam a conhecer a Irlanda.

Acabámos por lhes dar boleia até aos Cliffs.




É impossível descrever, mesmo em fotografia, a grandeza dos Cliffs of Moher.

É sem dúvida um dos lugares a não perder numa visita à Irlanda.


" Localizado na costa oeste da ilha irlandesa, à beira do Oceano Atlântico, os Cliffs são uma extensão de 8 km de penhascos com falésias e já entrou nas listas das maiores maravilhas do mundo. Não é à toa, já que a formação geológica tem marcas nas rochas datadas de 300 milhões de anos! "








Tivemos a sorte de apanhar um dia maravilhoso de céu aberto.

Não foi por acaso, porque andamos "em cima" dos sites de meteorologia durante semanas para escolher um bom dia para ir aos Cliffs.


Acreditem, vale a pena irem num bom dia, caso possam, e ficarem para o pôr-do-sol.

Nós infelizmente não podemos porque tínhamos uma viagem de 2h e pouco para fazer de volta a Dublin.







Dublin - day 3


De volta a Dublin, onde iriamos ficar as próximas 3 noites, demos com uma cidade bastante agitada, com muita vida e muito transito do lado contrário da estrada :p


Pois, é verdade....MUITO IMPORTANTE...para quem quer alugar carro preparem-se porque aqui é tudo ao contrário, o volante, as mudanças, as estradas e as retundas :O

Demos conta que, eles já estão habituados a apanhar pessoas em contramão, principalmente nos cruzamentos e nas retundas....é mais fácil de acontecer do que o que possam pensar ;)






DUBLIN o que dizer? A terra dos pubs, da Guinness, do frio e das lendas!

Dublin é uma terra,tanto de gente bem disposta e amigável como festeira .


Existe um pub a "rebentar pelas costuras" em cada 2m, onde só se notam as vozes altas em conversas paralelas e algum músico a tentar fazer-se ouvir!

É muito fácil perdermo-nos por horas a andar pelas ruas, muito diferentes das nossas ruas portuguesas.

Em Dublin as fachadas têm cores garridas, letreiros gigantes com palavras em BOLD, intercaladas com edifícios em estilo industrial.







As ruas estão sempre cheias de gente, de todas as nacionalidades. Passamos várias vezes por portugueses, brasileiros e espanhóis.

É muito fácil comunicar com eles porque são extremamente prestáveis e disponíveis!


Atravessamos as pontes pedestres, por sinal, com uma vista maravilhosa sobre o rio e viemos conhecer a margem onde está o Temple Bar.





Um dos pubs mais conhecidos The Temple Bar, foi das primeiras atrações que procuramos na cidade, era Sábado e passava pouco mais que as 10h da manhã e, acreditem ou não, estava CHEIOOOO e é bem grande lá dentro.

Como se costuma dizer " De manhã é que se começa o dia!" não é?! :P





Como era Sábado, havia um pequeno mercado de comida aqui perto do Temple Bar, onde acabamos por almoçar.

A alimentação dos Irlandeses, pelo que fomos percebendo, é muito a base de batata, e mesmo neste pequeno mercado tinham muitas pequenas iguarias com base de batata misturada com queijo e ervas. Muito bom, aconselhamos a provarem.





A Guiness é uma grande atração na cidade.

Nós não entramos na Guiness Store House porque não somos amantes de cerveja, mas dizem que lá dentro é um mundo e a avaliar pela fila enorme que estava a porta para entrar...aconselhamos a irem cedo!





Em relação a entradas em locais, nós desta vez não entramos em quase nada...gostamos muito mais de andar pela cidade e absorver o ambiente que se vive.


Mas no final deixamos-vos uma lista de onde devem ir se quiserem, mas com entradas a pagar.








Não deixem também de conhecer a cidade a noite.

Tudo tem outro encanto, há sempre muita gente na rua e a nível de segurança é muito bom.


Em qualquer dos locais onde fomos e a qualquer hora nunca nos sentimos inseguros na cidade.









Glendalough - day 4


Depois de nos "matarmos" no dia anterior a correr Dublin de uma ponta a outra, hoje era dia de seguir para o campo.


A nossa primeira paragem foi Glendalough.

Um conselho - NÃO PODEM DEIXAR DE VISITAR e já vão perceber porquê!


Glendalough é o lar de um dos monumentos mais importantes da Irlanda.

É também conhecida como a cidade das sete igrejas, que foi fechada dentro de uma parede circular.

A maioria dos edifícios que sobrevivem hoje datam dos séculos X e XII.

Apesar dos ataques dos Vikings ao longo dos anos, Glendalough prosperou como uma das grandes fundações eclesiásticas da Irlanda e escola, até que os normandos destruíram o mosteiro.



O muito pitoresco Gateway ( imagem superior da direita) tem a distinção de ser o único exemplo sobrevivente na Irlanda, de um portal medieval para uma cidade monástica primitiva.



Sim é um cemitério!

Ao passarem o Gateway, entram num cemitério.


A cruz que se vê na imagem superior da direita - St. Kevin's Cross - é uma cruz com fusão da cultura cristã e pagã, combinando a cruz com um circulo, símbolo do sol e da lua. Uma lenda local sobre St. Kevin's Cross diz que qualquer um que possa envolver com os braços toda a largura do corpo cruzado e fechar o círculo tocando as pontas dos dedos, terá os seus desejos concedido.

Por isso já sabem, quando visitarem tentem a vossa sorte.





O mais famoso de todos os pontos de referência em Glendalough é a Round Tower , que fica 33 metros acima do solo. Foi construída há quase 1000 anos pelos monges do mosteiro de St. Kevin.

O telhado cônico teve que ser substituído em 1876, quando foi atingido por um raio.





Continuando o caminho a pé chegamos ao Upper Lake . A caminhada é extensa até aqui chegar, mas vale cada metro.







É muito difícil, a partir de fotos, mostrar a imponência destas paisagens, o silêncio esmagador das montanhas e a tranquilidade maravilhosa que é este lugar. Para mim um dos melhores.












Wicklow Mountains National Park - day 4


Depois de passarmos a manhã em Gandalough seguimos viagem para Wicklow Mountains.






Tivemos um pouco de azar porque a cascata (imagem da esquerda) estava com pouca água a correr, mas mesmo assim, valeu pelas paisagens maravilhosas que vemos quando andamos em ziguezague de carro entre montanhas.



Day 5


Chegou o dia de regressar a Lisboa e fica a vontade de permanecer nesta paz mais uns dias e a de voltar para ver alguma coisa que ficou para trás.






DICAS


Não achamos a comida deles nada de especial preferimos cozinhar nós em casa


Em relação a casas, optamos por airbnb e em Dublin não ficamos no centro, visto que tínhamos carro, aproveitamos e alugamos um género de anexo nos arredores, onde pagamos o mesmo que estavam a pedir no centro de Dublin por um quarto.

O carro, optamos por alugar logo no aeroporto, eles são bastantes rápidos. Em relação às cauções, ou vocês têm um cartão de crédito (obrigatório) com o plafom altinho, porque as cauções começam nos 1500€+taxa de combustível . Ou optam por pagar o seguro completo e para além de não andarem a correr atrás do banco para subirem o plafom, como nós :P estão mais descansados caso aconteça algo.

Parqueamento, tudo se paga até as 19h, muitos dos estacionamentos na rua só podem ficar até 2h.

Nós optamos por estacionar o carro num parque subterrâneo. Mas preparem-se para a conta final ;)

A entrada em locais turísticos é, como devem calcular, "caótica", por isso, chegue cedo.

Vão preparados para o friozinho. Mesmo com sol um bom casaco quente sabe bem. E um gorro e um cachecol ;)

Façam uma "free tour Dublin" com uma das 1000 empresas que existem. Basta procurarem na internet por "free tour dublin" e vão aparecer várias empresas.

O que é isto? são visitas guiadas pelas ruas de Dublin com um guia que vos leva aos locais mais emblemáticos e vos conta as histórias. No final vocês dão o que quiserem (€). Eles estão sempre com chapéus de chuva coloridos com o nome das empresas em locais chave da cidade.

Há uma empresa que vocês até podem escolher o tipo de passeio que querem, se um mais sobre a história/cultura, outro sobre as histórias de fadas, bruxas e duendes entre outras.


Locais a ver em Dublin


Guiness Store House

Kilmainham Gaol - Prisão

Trinity College - Old Library

(Estes dois locais foram os que fiquei com muita pena de não ter conseguido visitar)

Phoenix Park + Zoo

Saint Patrick's Cathedral

Dublin Castle

The Temple Bar

Jardim St.Stephen's Green



Esperemos que ajude uns pombinhos a planear a próxima aventura

<3

0 visualização

Lisboa
Portugal

© 2020

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • Pinterest - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza